Páginas

Facebook

segunda-feira, 6 de setembro de 2021

Parlamentares bolsonaristas do Ceará convocam população para atos no dia 7 de Setembro.

 


Bolsonaristas cearenses recepcionam o presidente por ocasião de visita ao Estado. Foto: Ascom/PR.



A ala bolsonarista no Ceará tem defendido um “levante” no próximo dia 7 de Setembro, em defesa da gestão do presidente Jair Bolsonaro e contra ações de alguns ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Alguns desses parlamentares defendem um ato pacífico, em defesa da liberdade de expressão, enquanto que outros são mais enfáticos, convocando a militância a se posicionar contra algumas instituições que garantem a democracia brasileira.

Principal liderança de oposição no Ceará, e cada vez mais alinhado com as pautas bolsonaristas, o deputado federal Capitão Wagner (PROS), deve comparecer a um café da manhã com pastores, no dia 7 de Setembro, e comparecerá ao ponto de concentração marcado para o início das manifestações.

O grupo político liderado por ele no Estado também está focado nos protestos do Dia da Independência. Deputado Soldado Noélio (PROS), por exemplo, tem convocado seus seguidores para comparecerem ao ato. “Estarei nas ruas lutando por um País melhor”, disse em suas redes sociais.

O vereador de Fortaleza, Sargento Reginauro (PROS), publicou vídeo com imagens de outros bolsonaristas que foram presos por ataques às instituições democráticas. “Dia 7 é pela minha, pela sua, pela nossa liberdade. Supremo é o povo”, disse ele em alusão às decisões do Supremo Tribunal Federal que resultaram na detenção de defensores da gestão do presidente da República.

Outros que estão convocando seus eleitores para as manifestações e devem comparecer aos protestos são: vereador de Fortaleza Carmelo Neto (Republicanos), Julierme Sena (PROS), Márcio Martins (PROS), Priscila Costa (PSC), Inspetor Alberto (PROS). Deputados: André Fernandes (Republicanos), Dr. Jaziel (PL), Dra. Silvana (PL) e Delegado Cavalcante (PTB).

Cavalcante, inclusive, tem citado um certo “levante” do povo contra os ministros do STF. “No dia 7 de Setembro, o povo vai para as ruas. Estamos sem democracia, num estado anárquico. Não vamos aceitar esse tipo de ação”, disse ele.

Crítico de decisões dos ministros do STF,  senador Eduardo Girão (Podemos) afirmou que irá “ao ato pacífico do dia 7 de Setembro apenas pelo direito à livre opinião, hoje sob ataque no País”.

“Hoje, o Judiciário está acima dos outros poderes. O Senado podia frear recorrentes abusos, cumprindo seu papel de analisar impeachment de ministros do STF, mas estes seguem engavetados. Um deles tem quase 3 milhões de assinaturas. A omissão deve acabar”, disse em publicação nas redes sociais.

Os atos do dia 7 de Setembro, em Fortaleza, devem acontecer, a partir das 9 horas, com concentração de carros na Arena Castelão. De lá, os veículos seguem pelas ruas da cidade e devem chegar às 11h30 na Praça Portugal, bairro da Aldeota, para início das manifestações.


                       Jornalista Edison Silva