sexta-feira, 7 de agosto de 2020

Incêndio de grande proporção atinge parque nacional no Rio

 Um incêndio florestal de grandes proporções atinge o Parque Nacional da Serra dos Órgãos, em Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro. A estimativa é que 220 mil metros quadrados, o equivalente a 28 campos de futebol, já tenham sido atingidos pelo fogo. Há suspeita de que a queda de um balão tenha dado início ao fogo.

20200806162327930052a
Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros

O incêndio começou na manhã desta terça-feira (4), na parte alta do parque, na trilha da travessia Petrópolis-Teresópolis. Segundo o delegado João Valentim Neto, a Polícia Civil instaurou inquérito para apurar as causas do incêndio.

“Por ser um local de difícil acesso, existe a possibilidade de o incêndio ter sido causado pela prática criminosa de grupo de baloeiros”. Conforme o delegado, essa ação é considerada crime ambiental e pode levar a até quatro anos de prisão.

Pelo terceiro dia consecutivo, nesta quinta-feira (6), os bombeiros do Rio atuam no combate ao incêndio. Ao menos 70 profissionais, incluindo bombeiros militares, guarda-parques, brigadistas e agentes de órgãos externos, trabalhavam em três frentes para extinguir as chamas na área de proteção ambiental. A operação também conta com o apoio de uma aeronave.

O Parque Nacional da Serra dos Órgãos tem 20.024 hectares protegidos nos municípios de Teresópolis, Petrópolis, Magé e Guapimirim, na região serrana do Rio de Janeiro. O parque abriga mais de 2.800 espécies de plantas catalogadas pela ciência, 462 espécies de aves, 105 de mamíferos, 103 de anfíbios e 83 de répteis, incluindo 130 animais ameaçados de extinção.

É o segundo incêndio em duas semanas no mesmo parque. Na semana passada, um homem foi preso suspeito de atear fogo no carro para fraudar um seguro e, por isso, provocado um incêndio na reserva biológica de Araras, no mesmo parque.

As chamas duraram três dias, até serem controladas pelos bombeiros, atingindo 605 hectares, equivalente a quase quatro parques do tamanho do Ibirapuera, em São Paulo, de 158 hectares.

Um homem de 66 anos permanece preso como suspeito de ter provocado esse primeiro incêndio. Segundo a polícia, ele havia comprado combustível momentos antes de o veículo encostado próximo à mata pegar fogo.

Fonte: Folhapress

Girão e mais seis senadores acionam CNMP contra Aras em defesa da Lava Jato

 O senador cearense Eduardo Girão (Podemos) e mais seis senadores defensores da Lava Jato acionaram o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) contra o procurador-geral da República, Augusto Aras. Os parlamentares solicitam que a PGR preste explicações sobre as ações que podem prejudicar a operação. A reclamação disciplinar é assinada também pelos senadores Alessandro Vieira (Cidadania-SE), Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Styvenson Valentim (Podemos-RN), Lasier Martins (Podemos-RS), Jorge Kajuru (Cidadania-GO) e Leila Barros (PSB-DF).

                                        eduardo-girao-300x169

Em pronunciamento, Girão disse que a Lava Jato constitui um “símbolo e uma referência internacional de ação positiva no combate à corrupção no Brasil”. Ressaltou ainda que a força-tarefa está passando por ataques de “desqualificação e desmantelamento”, além de enfrentar muitas resistências de todos os Poderes da República.
Ainda sobre os embates que a força-tarefa vem enfrentando, o senador lamenta as recentes decisões do Supremo Tribunal Federal (STF): “infelizmente o STF fez mais uma manobra para enfraquecer a Lava Jato ao decidir na Segunda Turma que a delação do ex-ministro Antonio Palocci deve ser excluída da ação em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é acusado de receber propina da Odebrecht”. Eduardo Girão, porém, não deixa de ressaltar as qualidades da Corte Suprema parabenizando a decisão do ministro Edson Fachin ao negar o compartilhamento de dados da Lava Jato que foram exigidos pela PGR.
Na mesma ocasião, fez críticas ainda ao Senado em relação às decisões do STF. Para ele, a casa tem sido omissa quanto a suas atribuições, quando não propõe qualquer processo de investigação contra alguns ministros da Corte Suprema.

Alternativa é desenvolvida para quem não consegue participar de audiências virtuais no Ceará

 A Defensoria Pública do Ceará está buscando formas de atender a população que não tem acesso à internet durante esse período de isolamento social imposto pelo novo coronavírus. Na sede da instituição em Fortaleza foi instalado um guichê para atendimento específico daqueles assistidos com audiências marcadas, mas sem acesso à tecnologia, o que o deixaria impossibilitado de participar do momento virtual.

                                Sem-T%C3%ADtulo-1-2-300x200

“Sabemos que ainda há uma parcela da população que, com a pandemia, não conseguiu acessar vários serviços, porque não têm acesso regular à internet. Por isso, instalamos um módulo para que o nosso assistido não fique sem o atendimento. Os defensores públicos que atuam nas Varas e que estão em contato mais próximo com esse assistido, percebendo alguma dificuldade na realização da videoconferência, podem ofertar a possibilidade de utilizar o equipamento disponibilizado na sede da Defensoria”, explica a defensora pública Sulamita Alves Teixeira, coordenadora das Defensorias da Capital.

Para melhorar
A defensora geral, Elizabeth Chagas, complementa que a pandemia trouxe a ampliação de algumas vulnerabilidades da população e que a Defensoria tem trabalhado diuturnamente para sanar e ampliar seus serviços. “A crise assola todas as áreas, não só a economicamente, mas ampliando as desigualdades sociais. Alguns assistidos da Defensoria estão nesta condição de vulnerabilidade digital e precisamos pensar nele. A Defensoria Pública do Estado do Ceará reorganizou seus serviços desde a adoção do trabalho remoto. Ampliando seus canais de atendimento, disponibilizando diversos telefones e meios, como o whatsapp, a realização de videoconferências extrajudiciais na solução de problemas, implementou um novo site mais acessível. Agora em agosto lançaremos também uma atendente virtual e um aplicativo”, explica.
Segundo ela, a instituição está focada em fazer com que essas informações e o serviço da Defensoria cheguem de uma forma clara e rápida ao cidadão. “Estamos diante de um fenômeno novo e com desafios e também possibilidades ao longo desse caminho”, destaca.

Números
Entre os meses de abril, maio e junho, foram realizadas 183.690 atuações por defensores e colaboradores que se empenharam para resguardar a população em seus mais diversos direitos, promovendo 72.247 atendimentos, realizando 44.051 peticionamentos em ações judiciais (peças processuais) e participando de 3.589 audiências judiciais e extrajudiciais. Segundo a defensora, o processo de virtualização das ações e atendimentos do sistema de justiça, como um todo, deu um salto para o futuro e que isso é visto como positivo, mas ainda temos estrada para sua universalização.
“Estão sendo realizadas audiências por videoconferência, criaram-se salas virtuais para garantir a entrevista reservada com a oportunidade da pessoa conversar e sanar dúvidas sobre o processo antes, durante e após a audiência, mas a nossa preocupação permanece a mesma: essa tecnologia não chega em todas as pessoas vulneráveis e com processos em curso pela Defensoria. E temos que sempre pensar nesta hipervulnerabilidade e em como melhorar a vida destas pessoas em tempos de pandemia”, revela a defensora.

Ouvidoria
“Estamos fazendo muitas reuniões e contatos com as organizações da sociedade civil que estão mais perto desses assistidos. Criamos uma rede com outras organizações para garantir que essas pessoas tenham acesso aos seus direitos. São organizações da sociedade civil que estão na ponta, servindo de elo para que os assistidos cheguem até a Defensoria. Dessa forma, estamos conseguimos entender a realidade daquelas pessoas mais vulneráveis e suprir a demanda apresentada por ela”, revela Antonia Mendes, ouvidora geral da Defensoria.
A Ouvidoria Geral é ocupada por um membro da sociedade civil, que tem o objetivo de ser o elo entre a instituição e a população assistida e os movimentos sociais. Ela recebe ainda os elogios, sugestões, críticas, solicitações, reclamações, denúncias e pedidos de informação, com o objetivo de melhorar a qualidade dos serviços prestados e faz articulação comunitária com intuito de promover os serviços e difundir a instituição. 

  O Estado Ce 

Quixadá à 09 dias sem registrar óbito por causa da Covid-19

 Quixadá chega 09 (nove) dias sem notificar novos óbitos em decorrência da Covid-19. O município continua com 65 óbitos registrados desde o dia 11 de março quando a cidade registrou o primeiro caso suspeito.

                                     COVID-19-06.08-800x500

As notificações chegam a 6.674 pessoas suspeitas de ter contraído o Novo Coronavírus. 04 (quatro) casos seguem aguardando resultados laboratorial. 45,46% são 3.034 dos casos notificados foram confirmados positivamente, enquanto 54,48% ou seja 3.636 pacientes tiveram seus exames descartados.

2.901 pessoas infectadas com o Novo Coronavírus já estão recuperadas, 56 encontram-se em isolamento domiciliar sobre supervisão da equipe epidemiológica municipal. 12 pacientes encontram-se internados em leitos hospitalares.

Quixadá chegou a ser o epicentro da Covid-19 no Sertão Central, está a 09 dias sem registrar nenhuma morte. O último paciente que veio a óbito aconteceu no 28 de Julho de 2020. 

   Sertão Alerta 

Equipe da Regional Quixadá prende irmãos na Zona Rural de Quixadá suspeitos de vários crimes

 DRPC-QUIXADA-GUARUJ%C3%81.1-800x500


 Irmãos são presos pela equipe da Delegacia Regional de Policia Civil de Quixadá, após cumprir mandados de busca e apreensão na localidade de Guarujá, zona rural de Quixadá, nas residências e irmãos suspeitos de agiotagem, extorsão, ameaças, tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo.

DRPC-QUIXADA-GUARUJ%C3%81-300x225

Os agentes estavam com um mandato de busca e apreensão.

Um dos suspeitos tentou se livrar de um aparelho celular e ainda de anotações, ao ogar no vazo sanitário. Foi encontrada droga do tipo maconha em uma das casas, e um animal da fauna silvestre (tatu-de-mão-amarela) criado em cativeiro em outra residência.

DRPC-QUIXADA-GUARUJ%C3%81.2-300x225














Foram apreendidos 3 aparelhos celulares, anotações para cobrança de dívidas, dinheiro em espécie, joias, balança de precisão, além dos objetos ilícitos referentes ao crime ambiental e ao crime previsto na Lei de Drogas.
A Polícia Civil prosseguirá com as investigações. Denúncias podem ser feitas pelo número 88 9 8821 6771. O anonimato é garantido.
DRPC de Quixadá

Comunidade na zona rural de Choró é beneficiada com a doação de mais de 100 litros de álcool em gel

 Os moradores do distrito de Monte Castelo, na zona rural de Choró, foram beneficiados na última terça-feira (04) com a doação de mais de 100 litros de álcool em gel que serão de fundamental importância em tempos de pandemia do novo coronavírus.

                                     .com/proxy/       .com/proxy/

A doação foi feita na última terça-feira no distrito de Monte Castelo

A doação foi feita pelo repórter e radialista do Sistema Monólitos de Comunicação, Everardo Gomes, que é natural do distrito, juntamente com o cantor quixadaense Joelson Oliveira. Os itens de higiene foram arrecadados em uma live realizada pelo artista juntamente com o cantor Paulo Júnior – O Véi Chegou.

A entrega foi feita aos representantes das associações de moradores do Monte Castelo que ficarão encarregados de efetuar a distribuição entre os moradores da comunidade.

Um dos representantes das associações, Francisco Timóteo destacou que a doação chega em um ótimo momento, uma vez que nem todos os moradores tem condições financeiras suficientes para adquirir álcool em gel neste momento de pandemia.

Esta já é a segunda remessa de álcool entregue pelo cantor, a primeira foi feita no Residencial Rachel de Queiroz, em Quixadá. 


Monólitos Post 

Novo 'estrondo' é registrado em Quixeramobim

 ilustra%25C3%25A7%25C3%25A3o

Moradores do Distrito de Passagem e Manituba, em Quixeramobim, registraram na manhã desta quinta-feira, 06, mais um forte estrondo. 

Os registros foram por volta de 12 horas e pode sentido em residências de diversas comunidades entre  os dois Distritos. Ainda conforme os relatos de ouvintes do Sistema Maior de Comunicação, dois 'estrondos' foram sentidos, um mais forte e outro menos.

O Laboratório de Sismologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte informou ao Blog que ainda não foram registrados nos dados do LabSis um tremor. 

Foto: Ilustração 

Quixeramobim Agora