Páginas

Facebook

sábado, 16 de outubro de 2021

Tasso Empolga O PSDB Cearense E Anima A Política Local No Caminho Para 2022.

 


Tasso-Jereissati-Senador-Tasso-Jereissati

Senador Tasso Jereissati. Foto: PSDB.

senador Tasso Jereissati surpreendeu os tucanos cearenses ao anunciar sua disposição de soerguer o PSDB no Estado, indo pessoalmente levar a bandeira da agremiação aos municípios, “para que ele tenha base, substância e condições de chegar, novamente ao poder no Ceará”. Tasso, foi além, anunciou para novembro sua licença do mandato, dando vez ao empresário Chiquinho Feitosa de assumir uma cadeira no Senado, nos próximos quatro meses, tempo em que ele organiza a agenda política no Ceará.

O PSDB, sob a liderança de Tasso, governou o Ceará durante 20 anos. Ele próprio em três mandatos, intercalando com Ciro Gomes e Lúcio Alcântara. O seu primeiro mandato como governador foi conquistado pela legenda do antigo PMDB, mas logo depois ele e seus liderados filiaram-se ao PSDB, nascido de uma divergência de paulistas com o comando do PMDB nacional.

Até o fim do próximo novembro, Tasso faz campanha nas prévias do PSDB em favor do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, contra o governador de São Paulo, João Doria, na disputa pela indicação do nome do partido que vai concorrer ao cargo de presidente da República. Depois, como disse, “gostaria de acompanhar a reconstrução do partido juntamente com cada um de vocês. Nós vamos andar em cada Município, fazer um levantamento de quem tem o coração com a gente e quem está insatisfeito com os rumos que o País e o Estado vivem. Nós vamos, de Município em Município, reconstruir nosso partido”.

E prosseguiu: “independente de candidaturas para deputados, estadual e federal, governador e senador, nós vamos reconstruir o partido, para que ele tenha base, substância e condições de chegar novamente ao Poder no Ceará”. Tasso fez essas afirmações para um público interno, um grupo seleto de liderados. Portanto, o senador assumiu um compromisso de ações que não lhes eram cobradas. Foi espontâneo. E por isso já é possível vislumbrar-se uma realidade nova na organização do próximo pleito no Ceará. Tasso, mesmo que seja Eduardo Leite o candidato do PSDB à Presidência da República, não irá ao Interior apenas para pedir votos para presidente. Em 2014 ele pediu para ser senador, e para o hoje deputado federal Aécio Neves, candidato a presidente. Tasso teve 2.314.796 sufrágios e Aécio apenas 676.743 votos no primeiro turno.

Não será fácil a empreitada do principal líder tucano no Ceará. Sem estar disputando voto fica mais difícil pedir para terceiros, mesmo sendo este um candidato a presidente. Sendo postulante a qualquer mandato, a empreitada será menos difícil. A única derrota na sua já longa caminhada buscando votos, em 2010, quando concorria a um novo mandato de senador, foi circunstancial, tanto que no pleito seguinte reconquistou o mandato, agora caminhando para o seu final, em janeiro de 2023. Para continuar onde está precisa concorrer em 2022, provavelmente, com o governador Camilo Santana (PT).

O importante para a política cearense, no momento, não é apenas a discussão se o senador será ou não candidato e a quê, no próximo ano. O mais significativo, entendemos, é a sua disposição de tentar soerguer o PSDB no Ceará. O partido, nos últimos anos, deixou de ser ativo como era durante os governos tucanos no Estado. É muito pequena, hoje, a sua representação nas casas legislativas e nos executivos do Estado, embora tenha bons quadros no seu rol de filiados. O próprio Tasso afastou-se das campanhas eleitorais no interregno dos seus mandatos federais, deixando os liderados sem aquele apoio importante do líder nos palanques, sobretudo os municipais.

Tasso, sem dúvida, é um dos líderes políticos cearenses de maior respeitabilidade. Ainda pode contribuir muito com o Estado do Ceará. Ele chegou até a sinalizar dar uma parada nas disputas por mandatos, mas a empolgação demonstrada no encontro do diretório estadual do seu partido, na quinta-feira (14), quando fez as declarações aqui citadas, apontam para sua permanência ativa no cenário político, fazendo vibrar, inclusive os mais jovens com pretensões eleitorais, como o secretário de Esportes da Prefeitura de Fortaleza, Oziris Pontes, candidato a deputado estadual, sem se falar nos veteranos conhecedores da importância de ter o líder à frente da campanha.


       Jornalista Edison Silva