Páginas

Facebook

segunda-feira, 4 de outubro de 2021

A Sintonia Entre Camilo, Cid, Evandro E Roberto Cláudio.

 




0532445D-8433-4320-A966-47C2E4E646DB


A velocidade imposta pelo governador Camilo Santana dita o ritmo da pré-campanha ao governo do Ceará dentro do bloco governista, sem sair “das quatro linhas”. Camilo autoriza e entrega obras, se articula com o setor produtivo e a classe política. Tudo ocorre em solenidades públicas e no Abolição. Camilo se tornou uma máquina de entrega de boas ações, fez gestos de simpatia com todos. Aliás, essa é a grande marca do governador cearense, a simpatia, diálogo permanente e honrar compromissos. 

Amigo e aliado de Cid Gomes,  o governador parece ter afinado com o senador e o ex-prefeito Roberto Cláudio sua arrancada para entregar o governo em abril de 2022.  Em pouco mais de 24 horas, Camilo Santana fez uma passagem impressionante pelo Cariri. Lançou a fábrica da Grendene, com 1.500 empregos; lançou o Grupo Raio; autorizou recuperação e construção  de estradas; entregou areninhas, brinquedoteca, creches e escolas. Foi um arrastão. 

Numa outra ponta, Roberto Cláudio conversava com Domingos Filho,  afinava conversa com Sarto pessoalmente e dialoga com Evandro Leitão. Tudo afinado. Cid Gomes com seu radar, vai conversando com prefeitos, vereadores, lideranças empresariais e políticas. É impressionante a movimentação longe dos holofotes. 

Aos poucos as peças vão se juntando, tudo a seu momento, sem afogadilho. Evandro Leitão abraçando a missão mais complexa, trazer todo o PT e o PP de volta ao projeto do PDT. Uma missão complexa. Lula sinalizou em manter a aliança, mas uma pequena parte do PT cearense se queixa de isolamento. Os rebeldes estão sob a influência de Luizianne Lins, a parte mais ideológica do partido. As conversas estão avançadas. Leitão tem mantido o deputado Elmano de Freitas por perto. O petista ainda exibe resistência, mas já sabe que o adversário é o grupo do Bolsonaro, e não Cid e Ciro. O deputado José Guimarães deve entrar no processo para mediar o acordo. O presidente da Assembleia tem mantido também reuniões com o deputado e secretário de Cidades, Zezinho Albuquerque, uma liderança respeitável e muito amigo das maiores lideranças políticas do Ceará. 

Acalmar aliados que pretendem participar da chapa majoritária não é tarefa fácil. Contemplar a todos até é possível, o difícil é encontrar lugares na cadeia de poder que atenda expectativas. Sempre surgirão os insatisfeitos. As conversas definirão o espaço de cada liderança ou grupos. O limite do entendimento é a ética, a importância de manter um projeto vivo de um Ceará em crescimento na economia, evolução na educação, atendimento da saúde, turismo e oferta de segurança pública. 

A velocidade como as articulações ocorrem a partir das ações de Camilo, de Cid, Evandro Leitão e Roberto Cláudio, pode construir algo novo para 2022: a vitória de Ciro e Lula no Ceará, dois puxadores de votos importantes para o projeto instalado no Ceará. Essa é a pauta número 1 dos responsáveis pela mediação dos entendimentos para formar o time para o ano que vem. O ponto alto é não terem enxergado no retrovisor uma oposição capaz de  construir um projeto desafiador.


                                           Roberto Moreira