Páginas

Facebook

quinta-feira, 9 de setembro de 2021

Em áudio, Bolsonaro pede que caminhoneiros liberem estradas.

 


Caminhões estavam estacionados nas proximidades do STF(foto: REPRODUÇÃO/REDES SOCIAIS)

Caminhões estavam estacionados nas proximidades do STF(foto: REPRODUÇÃO/REDES SOCIAIS)


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) gravou um áudio pedindo aos caminhoneiros que liberem as estradas do País. Na gravação, ele diz que a ação "atrapalha a economia" e "prejudica todo mundo, em especial, os mais pobres".

 Desde essa quarta-feira, 8, caminhoneiros fazem bloqueios parciais nas rodovias. Assim como em atos antidemocráticos promovidos no feriado de 7 de setembro, os motoristas se manifestam a favor do governo de Jair Bolsonaro e contra os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Ouça o áudio de Bolsonaro:

Veja a íntegra do áudio: 

"Fala para os caminhoneiros aí, que são nossos aliados, mas esses bloqueios atrapalham a nossa economia. Isso provoca desabastecimento, inflação e prejudica todo mundo, em especial, os mais pobres. Então, dá um toque no caras aí, se for possível, para liberar, tá ok? Para a gente seguir a normalidade. Deixa com a gente em Brasília aqui e agora. Mas não é fácil negociar e conversar por aqui com autoridades. Não é fácil. Mas a gente vai fazer a nossa parte aqui e vamos buscar uma solução para isso, tá ok? E aproveita, em meu nome, dá um abraço em todos os caminhoneiros. Valeu", disse o presidente na gravação.

Em vídeo gravado na noite de ontem, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, confirmou a veracidade do áudio. O ministro segue dizendo que é uma preocupação de todos a melhoria da situação do país e com a resolução de problemas graves. “Mas a gente não pode tentar resolver um problema criando outro, principalmente os mais vulneráveis. Daí a preocupação do presidente da República.”

Manifestação e bloqueios

Os caminhoneiros estão em pelo menos 15 estados do País, de acordo com o último boletim divulgado pelo Ministério da Infraestrutura. Segundo o balanço, à 0h30min desta quinta-feira, 9, havia casos identificados nos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Espírito Santo, Mato Grosso, Goiás, Bahia, Minas Gerais, Tocantins, Rio de Janeiro, Rondônia, Maranhão, Roraima, São Paulo e Pará.

Ainda de acordo com o Ministério, foram dispersadas 117 ocorrências com concentração de populares e tentativas de bloqueio total ou parcial de rodovias nas últimas horas.

A Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&Logística) divulgou uma nota de repúdio às paralisações, segundo ela, organizadas por caminhoneiros autônomos.

“Trata-se de movimento de natureza política e dissociado até mesmo das bandeiras e reivindicações da própria categoria, tanto que não tem o apoio da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos”, diz o texto da associação, assinado pelo presidente da NTC&Logística, Francisco Pelucio.

                                         o Povo