Páginas

Facebook

sexta-feira, 13 de agosto de 2021

Darlan aciona Justiça após governistas esvaziarem plenário para obstruir reunião do colégio de líderes, em Juazeiro do Norte.

 



 O presidente da Camara de Juazeiro do Norte, vereador Darlan Lobo , acionou a Justiça após os vereadores da base governista não atenderem, pela terceira vez, a convocação para reunião do colégio de líderes. Na sessão desta quinta-feira (12), parlamentares base do prefeito Glêdson Bezerra (Podemos) esvaziaram o plenário da Casa.

Os trabalhos foram obstruídos após Darlan acolher requerimento do vereador Janú (Republicanos), que sugeria a interrupção dos trabalhos para a realização de uma reunião de líderes, a fim de regularizar a CPI do Lixo, que está suspensa por determinação Judicial.

“A gente tá tentando corrigir o erro [na formação da CPI], mas os vereadores [de situação] não estão deixando. O vereador Nivaldo [Cabral] pediu que a gente comunicasse o fato ao Judiciário, pedindo uma liminar mandando todos os líderes se reunirem para corrigir o erro”, afirmou Darlan após encerrar a sessão.

Rafael Cearense (Podemos), Beto Primo (PSDB) e Fábio do Gás (Rede) se recusaram a participar alegando que a reunião não poderia acontecer em razão da suspensão da CPI. O assessor jurídico da Casa, por outro lado, afirmou que não havia impedimento para a realização. “A Justiça não suspendeu a reunião do colégio de líderes”, explicou o assessor Erivaldo Oliveira.

Horas depois, uma Ação de Cumprimento de Normas Regimentais e da Lei Orgânica do Município, com pedido urgente de tutela antecipada, foi protocolada na Comarca de Juazeiro do Norte. Ela cita os líderes de cinco partidos: Rosane Macedo (Cidadania), Beto Primo (PSDB), Fábio do Gás (Rede), Rafael Cearense (Podemos) e Firmino Calú (PSB).

*Impasse entre Legislativo e Executivo*

Na segunda-feira (9), o juiz Renato Esmeraldo Paes acolheu recurso do Município de Juazeiro e suspendeu os efeitos do decreto legislativo nº 90, de 19 de julho de 2021. A norma estabelecia o trancamento da pauta das sessões, impedindo a apreciação de projetos de lei do Executivo durante eventuais descumprimentos de leis municipais por parte do prefeito Glêdson Bezerra.

                                 ( News Cariri)