Páginas

Facebook

quarta-feira, 28 de julho de 2021

CRATO REALIZA, NESTA QUARTA-FEIRA, 28, DIA D DA CAMPANHA JULHO AMARELO.

 


Nesta quarta-feira, 28 de julho, a Secretaria de Saúde do Crato realiza a culminância da campanha Julho Amarelo, com o Dia D de combate às Hepatites Virais. A ação será realizada na Praça da Sé, pela manhã, com a oferta de testes rápidos para a população.

O objetivo do Julho Amarelo é alertar a população sobre a doença e suas derivações e as formas de identificação e de prevenção. É importante que as pessoas façam o teste gratuitamente e, no caso positivo, façam o tratamento que está disponível na rede pública de saúde o quanto antes.

No dia 29, a SMS realizará uma capacitação para médicos e enfermeiros da Atenção Básica sobre o manejo clínico das hepatites virais. A capacitação será ministrada pelo infectologista Dr. Pablo Pita.

Tipos

São cinco os tipos mais comuns de hepatites virais (A, B, C, D e E) e no caso da hepatite B, já há vacina disponível nos postos de saúde para todas as faixas etárias.

- Hepatite A tem o maior número de casos e está diretamente relacionada às condições de saneamento básico e de higiene. É uma infecção leve e cura sozinha. Existe vacina.

- Hepatite B é o segundo tipo com maior incidência, atinge maior proporção de transmissão por via sexual e contato sanguíneo. A melhor forma de prevenção para a hepatite B é a vacina, associada ao uso do preservativo.

- Hepatite C tem como principal forma de transmissão o contato com sangue. É considerada a maior epidemia da humanidade hoje, cinco vezes superior à AIDS/HIV. A hepatite C é a principal causa de transplantes de fígado. Não tem vacina. A doença pode causar cirrose, câncer de fígado e morte.

- Hepatite D ocorre apenas em pacientes infectados pelo vírus da hepatite B. A vacinação contra a hepatite B também protege de uma infecção com a hepatite D.

- Hepatite E é transmitida por via digestiva (transmissão fecal-oral), provocando grandes epidemias em certas regiões. Não se torna crônica, porém, mulheres grávidas que foram infectadas pelo vírus da hepatite E podem apresentar formas mais graves da doença.