Páginas

Facebook

sábado, 19 de junho de 2021

“Optar pela intubação da minha irmã foi a decisão mais difícil da minha vida”, diz enfermeiro do Hospital Regional do Cariri.

 



Adriano de Almeida Feitosa é formado em Enfermagem há oito anos. Destes, quatro foram atuando dentro de uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Em todo esse tempo, o enfermeiro afirma que o dia de maior desafio profissional e pessoal foi o último 8 de junho. “Optar pela intubação da minha irmã foi a decisão mais difícil da minha vida”, lembra.


Andréia Almeida Barreto foi diagnosticada com Covid-19 pouco antes de completar 38 anos. Por ter asma, a doença comprometeu ainda mais seu sistema respiratório. Ela chegou no Hospital Regional do Cariri (HRC), em Juazeiro, no início deste mês, e logo deu entrada na UTI. “Quando meu irmão me falou que eu precisava ser intubada, passou muita coisa na cabeça. Mas o fato dele estar ali, ao meu lado, me fez ficar mais calma. Sei do amor que ele tem pela profissão e comigo não seria diferente. Me senti muito cuidada”.


No dia do seu aniversário, Andréia comemorou a extubação, feita com a ajuda do irmão. “O Adriano foi a primeira pessoa que vi ao acordar. Não tenho palavras para agradecer por todo o amor e cuidado. Deus me presenteou com um uma vida nova. Eu estou renascendo aos 38 anos”, celebra a paciente, que recebeu alta hospitalar dois dias após a remoção do tubo de sonda.


Do dia 03 de março de 2020 a 11 de junho de 2021, mais de 1.500 pacientes receberam alta da Unidade Covid do HRC. O equipamento é referência para casos graves da doença para 45 municípios da macrorregião do Cariri. Atualmente, o hospital, gerido pelo Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH), conta com 73 leitos de UTI Covid e 44 de Enfermaria, somando um total de 117 acomodações exclusivas para o tratamento da doença.



dp
Foto: Raquel Oliveira