Páginas

Facebook

sexta-feira, 25 de junho de 2021

Dom Gilberto Pastana recebe título de cidadão cearense.

 




Era por volta das onze horas da manhã desta sexta-feira, 25 de junho, quando o arcebispo eleito de São Luís (MA) Dom Gilberto Pastana recebeu o título de cidadão cearense numa cerimônia reservada a poucas pessoas para evitar aglomerações. Sorrindo e acenando ele adentrou ao auditório da Universidade Regional do Cariri, onde tomou lugar na mesa de honra, junto ao vice-presidente da Assembleia Legislativa, deputado Fernando Santana, responsável pela concessão do título honorífico proposta por projeto de lei 221/21 aprovado em plenário no último dia 2 de junho e sancionado pelo governador do Estado, Camilo Santana, no dia 15.

“O trabalho pastoral agregador o levou a receber esse título pelo seu perfil sereno e tranquilo, muito sério e trabalhador. A partir desse título, o Estado adota o Dom Gilberto Pastana como filho. Reconhecemos nele um grande homem religioso, agradecendo a tudo que ele fez por nós”, justificou o deputado Fernando Santana. A cidadania, no entanto, não veio apenas por ocasião da transferência para a Arquidiocese. Quando foi consultado sobre o título, a nomeação ainda não havia sido publicada.

Além do deputado, participaram da solenidade os prefeitos de Barbalha, Guilherme Saraiva, de Crato, José Ailton Brasil, de Juazeiro do Norte, Glêdson Bezerra, de Santana do Cariri, Samuel Cidade, de Assaré, Libório Leite, municípios que compõem o território diocesano, e de Ibicuitinga, Franzé Carneiro, na região do Baixo Jaguaribe cearense. Representando a Igreja de Crato estavam o chanceler, Padre Rocildo Alves, o ecônomo, Padre Joaquim Ivo Alves, o cura da Sé Catedral Nossa Senhora da Penha, Padre José Vicente Pinto, o diretor-presidente da Cáritas, Padre José Ricardo Barros, além dos padres Ranilson Belém e Paulo Lemos; e funcionários da Cúria Diocesana.

Dom Gilberto iniciou seu discurso de agradecimento lembrando as raízes cearenses da avó materna, Maria de Nazaré Barroso Pastana, natural de Sobral, e a família da Cúria, constituída por todos os padres e demais colaboradores, para os quais disse dedicar a honraria. Falou no fortalecimento do combate à Covid-19 e defendeu a superação das divergências políticas em favor de uma sociedade mais fraterna e inclusiva. De suas andanças pela diocese, lembrou ainda a constituição dos conselhos pastorais e econômicos nas paróquias que buscou valorizar o protagonismo dos leigos e leigas.

“Esse momento será sempre marcante em minha vida. Carrego com muita honra e desejo de fidelidade a tudo aquilo que este Estado – e particularmente a região do Cariri – me proporcionou durante este tempo de convivência. Levo todos no meu coração e onde eu estiver estará o Ceará, porque eu carrego essa experiência – pequena do ponto de vista do tempo, mas profunda do ponto de vista da doação”, destacou. Em sua atuação pastoral, Dom Gilberto sempre manteve bom relacionamento com os gestores públicos. Em novembro de 2016, ele reuniu em um evento 28 eleitos prefeitos nas cidades que compõem o território da Diocese de Crato. A intenção era conhecer e refletir as propostas de trabalho que cada um apresentava para os próximos quatro anos de mandato e ajudá-los com sugestões e possibilidades de parcerias a partir de sua atuação eclesial. “A nossa relação [com os gestores] sempre foi muito boa com uma única preocupação: a justiça social e um governo que seja sempre em função dos mais carentes, dos mais necessitados”, disse.

Dom Gilberto ficará na Diocese de Crato até 9 de julho. Antes, presidirá a Missa da Unidade – ou dos Santos Óleos – na Sé Catedral de Nossa Senhora da Penha, em Crato, que será concelebrada por todos os padres. O início de seu ministério episcopal na capital maranhense está marcado para o dia 18.

Para saber mais

O título honorífico de cidadão cearense é concedido pela Assembleia Legislativa a brasileiros não naturalizados e que tenham prestado relevantes serviços ao Estado. A honraria, no entanto, segue alguns critérios, como a aprovação de dois terços dos deputados, por exemplo, além de apreciação na Constituição de Justiça e Redação e da Mesa Diretora.

Parte dos funcionários da Cúria de Crato, para os quais Dom Gilberto dedicou o título de cidadania cearense. 

Por: Patrícia Mirelly com fotos de Mychelle Santos