Páginas

Facebook

terça-feira, 6 de abril de 2021

Sindicato divulga nome de cidades cearenses em débito com médicos no Ceará; municípios contestam

 













Números são da plataforma IntegraSus, da Secretaria da Saúde do Ceará
 (Foto: REUTERS / Amanda Perobelli)
Números são da plataforma IntegraSus, da Secretaria da Saúde do Ceará (Foto: REUTERS / Amanda Perobelli)

O Sindicato dos Médicos do Ceará afirmou nesta segunda-feira, 5, que 18 cidades cearenses permanecem em débito com os médicos que prestam serviços aos respectivos municípios. O levantamento é realizado pela instituição, por meio da Campanha Devedômetro, que divulga desde janeiro de 2017 o nome das gestões municipais em atraso com as remunerações médicas.

Entre os municípios estão Aracati, Aracoiaba, Baturité, Caridade, Catunda, Chaval, Limoeiro do Norte, Pacajus, Pires Ferreira, Icó, Itapipoca, Mulungu e Juazeiro do Norte. Do número total, cinco municípios fazem parte do levantamento feito pela entidade que contabiliza as cidades que deixaram débitos com seus médicos após a mudança de prefeito. São elas: Alto Santo, Ipueiras, Caririaçu, Caucaia e Quixadá.


Em nota, o sindicato explica que, por meio da campanha, a instituição é acionada por médicos cujas remunerações estão em atraso. Após checar a denúncia, a entidade tenta resolver o problema de forma administrativa, por meio do seu Departamento Jurídico.

Caso se esgotem as negociações, a campanha realiza a lista dos “maus pagadores e devedores” através das redes sociais oficiais e portal do sindicato. Tal divulgação, segundo a instituição, é sempre feita no primeiro dia útil de cada mês, refere-se aos débitos do mês anterior.


O secretário de Saúde de Aracoiaba, Valdson Aquino, refutou a nota, explicando que os débitos existentes são referentes ao ano de 2020 e por meio de contrato com uma cooperativa, ainda na gestão do prefeito Antônio Cláudio (PSDB), julgado como inelegível pela Justiça Eleitoral por abuso econômico e político durante a campanha de 2016. Ele afirma que, em janeiro, entrou em contato com o sindicato para explicar o caso.

O gestor afirma que a gestão do prefeito Thiago Campelo (PDT) mantém o pagamento dos servidores em dia, com o último salário sendo realizado já no dia 31 de março. “O ex-gestor deixou uma dívida fora do comum, incluindo folha da saúde. O atual prefeito firmou um acordo e encaminhou um calendário de pagamento ao MP e já estamos o cumprindo fielmente”, explica o secretário.

Já o procurador do Município de Caririaçu, Jhonata Morais Rodrigues, afirmou em nota que existe uma dívida, mas relativa a duas gestões anteriores, em 2016. Ele explica que a atual gestão do prefeito Edmilson Leite (PDT) tenta, por meio de judicialização, resolver a questão "o mais rápido possível" e garante que o município realiza, pontualmente, o pagamento dos médicos desde o ano de 2017 até o terceiro mês de 2021.

A secretária de Saúde de Baturité, Joana Furtado, afirmou que desconhece qualquer débito da gestão atual. “Nossa folha está rigorosamente em dia. Se existe algum débito, segundo o que ela me passou, é da gestão passada”, defendeu por meio de assessoria. A reportagem entrou em contato com outras prefeituras, mas não obteve respostas até o momento. 

                   O POVO