Páginas

Facebook

sábado, 24 de abril de 2021

Quixadá decreta lockdown após aumento de casos de Covid-19

 














Em abril, Quixadá apresentou aumento de mais de 400% no número de casos da Covid-19  (Foto: Prefeitura de Quixadá/Reprodução )
Em abril, Quixadá apresentou aumento de mais de 400% no número de casos da Covid-19 (Foto: Prefeitura de Quixadá/Reprodução )

O prefeito de Quixadá, Ricardo Silveira, decretou isolamento social rígido em todo o município, localizado a 163,4 km de Fortaleza, pelo período de nove dias. A medida passa a valer a partir das 00h deste sábado, 24, até às 23h59min de domingo, 2 de maio, podendo ser prorrogada. A decisão de lockdown foi tomada por conta do aumento expressivo de casos suspeitos e confirmados de coronavírus em Quixadá nos últimos dias. A medida foi acionada em comum acordo com médicos e especialistas membros do Comitê de Especial de Enfrentamento à Covid-19 (CEEC).

De acordo com o novo decreto, fica proibido o funcionamento de qualquer serviço na cidade de Quixadá, que não seja de categoria essencial. Supermercados, farmácias, postos de combustível, serviços médicos ambulatoriais, clínicas de fisioterapia e vacinação, correios, revendedores de água e gás, funerárias, padarias, empresas distribuidoras de energia e segurança privada poderão funcionar.

 No entanto, igrejas e academias, que antes tiveram permissão para funcionar com quantidade mínima de pessoas, também deverão fechar. Bares, restaurantes e lanchonetes só poderão funcionar por meio de delivery. Também foram vedadas as viagens de carros de transporte alternativo circulação com passageiros, bem como o funcionamento presencial de estabelecimentos de ensino. Além disso, continua em vigor a proibição do consumo e venda de bebidas alcoólicas.

Na tarde desta sexta-feira, 23, o prefeito Ricardo Silveira também se reuniu com representantes do setor bancário da cidade e foi decidida a suspensão do atendimento nos bancos e lotéricas, ficando autorizado apenas o funcionamento dos caixas eletrônicos. Na agência da Caixa Econômica de Quixadá o atendimento será permitido apenas para casos relacionados ao auxílio emergencial, limitando a apenas 100 por dia o número de atendimentos.

O decreto também prevê a prorrogação do vencimento de alvarás e a validade de certidões negativas de débitos tributários municipais. As forças de segurança municipal, agentes de trânsito e a Agência de Fiscalização de Quixadá (Agefisq) farão o monitoramento e controle do cumprimento das medidas decretadas.

Ricardo Silveira afirmou, por meio da assessoria de imprensa, que tem se mobilizado para conseguir fortalecer a saúde do município, mas que precisa contar com o apoio da população para superar o momento que ele classificou como delicado. “Desde o começo do ano temos dedicado total atenção a saúde de nosso município, mas estamos enfrentando o pior momento da pandemia e isso tem superlotado os nossos hospitais e os postos de saúde. Por isso se faz necessário o isolamento social rígido. Seguramos até onde deu para segurar, mas agora precisamos pensar em nosso familiar, em nosso irmão quixadaense”, afirmou o gestor municipal.


Situação do Município 


A secretária de saúde de Quixadá, Benedita de Oliveira, que há mais de 20 anos atua no Sistema Único de Saúde (SUS) do estado, explica que a situação é delicada e pediu consciência por parte da população. “Nosso medo é o colapso do Sistema Único de Saúde, porque para onde você mandar paciente, não existe vaga. O Sertão Central está lotado! Precisamos ter consciência de que a situação é grave”, diz a secretária, também por meio da assessoria. Ela informou que, atualmente, os 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do município estão lotados e 43 leitos de enfermaria dos 70 estão ocupados.

Na penúltima semana de abril, os casos de coronavírus em Quixadá explodiram. De acordo com números do portal IntegraSUS a cidade passou de 57 casos positivos na segunda semana de abril para 242 casos na semana seguinte, um aumento de mais de 400%.

Veja o novo decreto de lockdown em Quixadá

                                                                   o Povo