Páginas

Facebook

terça-feira, 13 de abril de 2021

Prefeito e secretária de Guaraciaba do Norte, são alvos de ação do MPF por ‘furarem fila’ da vacina contra Covid-19

 















O MPF pede que os gestores sejam condenados à perda da função pública, com suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos

Prefeito de Guaraciaba do Norte, Adail Machado, é alvo de ação do MPF por ter furado a fila da vacina contra a Covid-19

O Ministério Público Federal (MPF) ingressou com ação civil por improbidade administrativa contra o prefeito e a secretária de Saúde de Guaraciaba do Norte, no interior do Ceará, por terem “furado a fila” de vacinação contra a Covid-19, no entendimento do órgão.
De acordo com o MPF, Adail Machado (MDB) e Roberta Caroliny de Paiva Firmino, que não fazem parte do grupo prioritário da primeira fase, aproveitaram-se dos cargos públicos que ocupam para tomarem doses do imunizante, desconsiderando totalmente os critérios estipulados pelo Ministério da Saúde e pelo Governo do Ceará. Na ação, o MPF pede que os gestores sejam condenados.

 ‘Fura-filas’M - Adail Machado, com 58 anos de idade, recebeu, com autorização da secretária de Saúde, vacina do primeiro lote que chegou a Guaraciaba do Norte em janeiro deste ano e que era destinado à imunização de trabalhadores da Saúde que atuam na linha de frente de combate à pandemia e a idosos institucionalizados.
O prefeito, inclusive, foi o segundo a ser vacinado no município. Já Roberta Caroliny, que tem 40 anos e também não atua na linha de frente, recebeu a vacina no início de fevereiro, também antes de pessoas do grupo prioritário da primeira fase.
Durante as investigações, o MPF comprovou que, embora seja médico, Adail Machado não é profissional de saúde da linha frente do combate à Covid-19 no município de Guaraciaba do Norte. Para o MPF, a vacinação do prefeito é totalmente ímproba, imoral, desonesta e corrupta.

                       Pinheirinho. NET