Foto > Brasil Escola Uol 



A pandemia voltou a atingir níveis cada vez mais preocupantes no Ceará, que se tornou, na semana passada, o Estado com o maior número de mortes na região Nordeste. Foram 10.612 óbitos até o fechamento desta edição, nesta segunda-feira (8). A região do Cariri contabiliza 12,55% desse total de óbitos, com 1.332 ocorrências. Juazeiro do Norte lidera na região com 348 mortes, seguida por Crato com 117 e Barbalha com 66 registros. O cenário atual levou o governador do Ceará, Camilo Santana (PT), a emitir um alerta à população: “Está aumentando de forma considerável e preocupante a ocupação dos leitos covid na rede pública e também na rede privada, segundo relatórios de nossas equipes de Saúde. A situação é de alerta, e merece a atenção de todos”, disse.

Alertas semelhantes são feitos por autoridades em saúde no Cariri diante dos registros, cada vez mais frequentes, de intensas aglomerações na região. Elas acontecem desde o transporte público, com ônibus e topiques lotados, até a realização de eventos clandestinos que reúnem dezenas de pessoas. De igual modo, não são poucos os estabelecimentos comerciais que descumprem as medidas de proteção contra o novo coronavírus. No último final de semana, pelo menos 29 bares e restaurantes foram autuados em Juazeiro do Norte, numa ação conjunta entre a Vigilância Sanitária, Polícia Militar, Guarda Municipal e Corpo de Bombeiros. Os locais mais frequentes de aglomeração em Juazeiro do Norte são a Praça Padre Cícero e a Lagoa Seca. Segundo o coordenador de Vigilância Sanitária no Município, Everton Alves, ações semelhantes terão continuidade às sextas e aos sábados.

O contexto tem se refletido nas taxas de ocupação de leitos de UTI para tratar pacientes com o quadro de infecção por covid-19 agravado e no temor de que mais casos e óbitos sejam registrados por desrespeitos durante o Carnaval. Nesta segunda-feira (8), as UTIs do Cariri estavam 85% ocupadas e os leitos de enfermaria acima dos 60%. A preocupação também se volta para o período do Carnaval. Em nível estadual, o feriadão foi suspenso, pontos facultativos do serviço público foram revogados e o setor privado tem a recomendação de manter as atividades nos dias que seriam de folia. Conforme a secretária de Saúde de Barbalha, Janini Rosas, o Município promove ações educativas e fiscalizações. Donos de bares e restaurantes da cidade têm sido alertados quanto aos deveres constantes nos decretos estadual e municipal, que lhes são entregues. Ações da Vigilância Sanitária e denúncias da própria população barbalhense contribuem para que a gestão esteja ciente dos locais com aglomerações mais frequentes e, assim, desenvolva melhor a fiscalização.

Nos fins de semana, é comum ver jovens que descumprem o distanciamento social, sem usar máscaras, em momentos de descontração nas ruas dos municípios do Crajubar. Vídeos e fotos que circulam nas redes sociais mostram a urgente necessidade de fiscalização para que os decretos sejam obedecidos. Nesta terça-feira (9), secretários de Barbalha se reúnem para traçar medidas a serem tomadas durante o período de Carnaval.

“Essas estratégias não seriam utilizadas só no período de Carnaval, mas no Município como um todo, buscando os estabelecimentos e os possíveis focos de aglomeração para que a gente trabalhe, dessa forma, evitando a covid-19”, explica Janini. A secretária acrescenta que a colaboração dos barbalhenses não somente é fundamental como urgente. “Não só no período carnavalesco, porque a vacina chegando não é para todos ainda. Então, a doença não sumiu e precisamos, sim, continuar tomando as nossas medidas de controle. Somando esses esforços, temos certeza que venceremos a luta contra a covid-19”, considera.

      Jornal do Cariri