Páginas

Facebook

sexta-feira, 4 de dezembro de 2020

Fortaleza tem nível alto de alerta para incidência de novos casos de Covid-19

 

1_movimentac__a__o_1-14098406
NA CAPITAL, isoladamente, o incremento de casos de coronavírus foi de 19,2% (Foto: Aurelio Alves)

Fortaleza está em nível alto de alerta para incidência Covid-19, com 124,8 novos casos diários da doença a cada 100 mil habitantes e tendência "crescente”. Os dados são do IntegraSUS, plataforma da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), e foram obtidos às 11 horas desta sexta-feira, 4. 

As informações são referentes às semanas epidemiológicas 47 e 48, entre 15 e 28 de novembro. Conforme as classificações estabelecidas pela Sesa, existem quatro níveis de alerta: (1) “novo normal”, (2) “moderado”, (3) “alto” e (4) “altíssimo”.


A taxa de letalidade na Capital está em 1,3%, sendo classificada com nível de risco “moderado” e tendência de crescimento. Nesse indicador, os valores correspondentes ao risco moderado vão de 1% a 1,9%. O risco alto inclui taxas de 2% a 2,9% e o risco altíssimo é equivalente a uma taxa maior ou igual a 3%.


Em Fortaleza, existe tendência de queda na média de internações registradas por causas respiratórias (11,5) relativas às semanas epidemiológicas observadas. O mesmo vale para o percentual de leitos ocupados por Covid-19 (68,4%) nesse mesmo período.

No entanto, a taxa de positividade em testes RT-PCR realizados na Capital apresenta tendência de crescimento e está em 19,6%. Esse tipo de teste é considerado o mais eficaz no diagnóstico da Covid-19.

Segundo a Sesa esclarece, há tendência “crescente” em um indicador quando existe aumento do seu valor superior a 15% entre as duas últimas semanas epidemiológicas.

Já a tendência “decrescente” de um indicador ocorre quando é registrada redução do seu valor superior a 15% entre as duas últimas semanas epidemiológicas. Por fim, situações de “estabilização” acontecem quando observa-se “quaisquer outras situações” diferentes dessas primeiras.

Positividade alta nas Upas

 

O boletim epidemiológico da Sesa publicado nesta sexta-feira, 4, confirma o crescimento de casos e óbitos “devido a confirmação tardia de alguns óbitos”, conforme a secretária executiva de Vigilância e Regulação do órgão, Magda Almeida.

"A positividade dos exames continua alta nas Upas (Unidades de Pronto Atendimento) principalmente, acima de 50%, mas no geral tem se mantido entre 20% e 30%", comenta Magda em vídeo divulgado pela Sesa.

"Esses dados mostram pra gente que é um momento em que precisamos principalmente evitar aglomerações, fazer uso de máscara e usar da etiqueta respiratória. A gente precisa se proteger e proteger os mais vulneráveis", finaliza. 


( O povo)