sábado, 14 de novembro de 2020

Adagri realiza fiscalização no Sertão Central como medida preventiva da praga do bicudo do algodão

 

WhatsApp-Image-2020-11-13-at-11.34.49

Como medida preventiva e de controle da praga bicudo-do-algodoeiro em áreas de produção no Ceará, fiscais da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Ceará (Adagri), órgão vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedet), realizaram fiscalizações nos municípios de Quixeramobim, Quixadá, Choró e Senador Pompeu, no Sertão Central. A ação atende a Portaria n°022, de 27 de Fevereiro de 2020, que estabelece medidas fitossanitárias para prevenção e o controle da praga durante o Vazio Sanitário do Algodão e fixa critérios para o cultivo no Ceará. Iniciado no último dia 1º de outubro o Vazio Sanitário segue até o dia 31 de dezembro 2020.

O Governo do Ceará vem desenvolvendo o Programa de Revitalização da Cultura do Algodão e a Adagri realiza as fiscalizações e inspeções fitossanitárias para cumprimento das medidas de prevenção e controle do bicudo-do-algodoeiro. “A adoção dessas medidas trará vantagens competitivas e viabilizará a comercialização de produtos algodoeiros para todo o país e exterior, revitalizando e desenvolvendo a cotonicultura do Estado”, finaliza a presidente da Adagri, Vilma Freire.

“Durante as fiscalizações foram repassadas informações sobre as principais diretrizes contidas na Portaria, como o cadastramento das áreas de algodão (unidades de produção) na Adagri; medidas de controle do bicudo-do-algodoeiro e a eliminação de plantas tigueiras e dos restos culturais ao final da colheita”, explica a diretora de prevenção da Adagri, Neiliane Borges. Participaram das ações os fiscais estaduais agropecuários dos núcleos locais de Baturité, Aracati, Itapipoca, Morada Nova e da sede Fortaleza e os agentes de fiscalização dos núcleos locais de Iguatu e Morada Nova.

Anteriormente foram realizadas no município de Quixeramobim reuniões para divulgação e discussão da Portaria. O encontro aconteceu em fevereiro deste ano com o Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais e Agricultores Familiares de Quixeramobim, Cooperativa dos Agricultores Familiares do Vale do Forquilha de Quixeramobim, indústria de beneficiamento de algodão de Quixeramobim e produtores rurais do município.

Nenhum comentário:

Postar um comentário