segunda-feira, 30 de novembro de 2020

A VITÓRIA DA RAZÃO EM BENEFÍCIO DO BIOMA CAATINGA NO MUNICÍPIO DE PACUJÁ, FAZ A NATUREZA SORRI

 128816974_10207755134673219_5954187920869423278_n


 Uma das mais poderosas ferramentas em benefício do bem estar social e de proteção ao Meio Ambiente é sem dúvida a DECISÃO POLÍTICA, prática comum no Município de Pacujá, Zona Norte do Estado, cujo exemplo prático, é a retirada lenta e gradual do NIM INDIANO dos espaços públicos do município, o que se testemunha na cidade, é a radical mudança em benefício do Bioma Caatinga, com a retirada dessa nociva e exótica árvore indiana, sendo substituída por espécies nativas, adaptadas e fruteiras, uma radical mudança que está impactando positivamente no Meio Ambiente local. As imagens são em frente ao Posto de Saúde da Cidade de Pacujá, que está sendo reformado e ganhará uma praça com espécies nativas do aludido Bioma.

VOCÊ DEVE SER A MUDANÇA QUE O PLANETA DESEJA, este é uma das ações trabalhadas pelo Projeto Jovens Ambientalistas de Pacujá, cujos atores são alunos da rede pública municipal, as crianças e os adolescentes trabalham a EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO FATOR DE INTEGRAÇÃO e os ganhos sociais são incalculável para o Planeta uma vez que, o Meio Ambiente que gerou os Biomas, o Município de Pacujá tem no Bioma Caatinga, a marca da sua responsabilidade social.
O ambientalista JORGE DE MOURA acertou em cheio quando condenou com veemência o NIM INDIANO, essa espécie exótica que afeta de forma negativa o Meio Ambiente. Sua luta começou  no Município de Tauá e na Região dos Inhamuns porém, foi em Pacujá, onde seu grito contra essa espécie encontrou respaldo político do Gestor Municipal e os ganhos, a população já começa a comemorar.
Jorge de Moura se diz aliviado, ao se posicionar contra a proliferação do NIM INDIANO no Bioma caatinga,  sabia o que estava dizendo, sua luta em prol do referido Bioma  rende dividendos para a Natureza e quem ganha é a sociedade. Os efeitos negativos dessa espécie exótica foi amplamente divulgado nos meios de comunicação de massa, hoje, o Município de Pacujá é REFERÊNCIA, pela corajosa decisão política, comemora o ambientalista, que ousou na plantação de árvores fruteiras nos espaços públicos da cidade. Ser o diferencial é ousar e trabalhar com responsabilidade e não com modismo, argumenta Jorge de Moura que vai além: "trabalhar o Meio Ambiente requer conhecimentos, agilidade, trato com a Natureza e nesse caminhar em benefício do VERDE, não poderemos estar com o nariz empinado, atrás de um birô ou de saltos altos, temos que agir e por a mão na massa, trabalhando o COLETIVO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário