terça-feira, 27 de outubro de 2020

PF deflagra operação contra garimpo ilegal em Pernambuco; Juazeiro do Norte e Jardim são alvo da ação no Ceará

 


1_1_whatsapp_image_2020_10_27_at_07_37_19_16770696-13898212
Foi constatado que alguns pagamentos pelos serviços realizados em favor do garimpo eram feitos através de verbas da Prefeitura Municipal de Serrita - (Foto: DIVULGAÇÃO/PF)

A Polícia Federal de Pernambuco deflagrou nesta terça-feira, 27, a Operação Frígia, com o objetivo de combater uma organização criminosa envolvida com garimpo ilegal no Sertão de Pernambuco. São cumpridos 13 mandados de busca e apreensão e dez mandados de prisão. As medidas são cumpridas nos endereços dos acusados, localizados em Serrita e em São José do Belmonte, ambas no Sertão de Pernambuco; em Igarassu, na Região Metropolitana do Recife; e em duas cidades do Ceará, Juazeiro do Norte e Jardim.

A operação foi feita em parceira da Polícia Federal com o Ministério Público Federal (MPF).  Segundo o MPF, os investigados são suspeitos de realizarem desde a extração da pedra bruta até a venda a receptadores, que acontecia no Recife e em Juazeiro do Norte. A extração dos minérios ocorria em terrenos públicos e particulares.

"Os valores oriundos da venda eram colocados em circulação, com aparência de legalidade, por meio da aquisição de veículos e outras condutas que caracterizam a prática de lavagem de dinheiro", informou o órgão, em nota ao portal UOL.



Do total, três mandados são em desfavor de policiais militares, já afastados de suas funções, que atuavam na atividade criminosa, outro contra um vice-prefeito que dava suporte aos criminosos, e o afastamento das funções de um policial federal. Foi constatado que alguns pagamentos pelos serviços realizados em favor do garimpo eram feitos através de verbas da Prefeitura Municipal de Serrita.

A atividade criminosa consistia na extração de minérios em terrenos públicos e particulares, localizados na Zona Rural de Verdejante, com o consequente beneficiamento, que era realizado no município de Serrita, e, por fim, a comercialização do ouro. Foi constatado que alguns pagamentos pelos serviços realizados em favor do garimpo eram feitos através de verbas da Prefeitura de Serrita.

A Operação contou com a participação de 57 policiais federais e foi oriunda de uma investigação conjunta realizada entre a Delegacia de Polícia Federal em Salgueiro e o Ministério Público Federal. Os crimes que estão sendo imputados aos suspeitos são os previstos no art. 2° da Lei n.º 8.176/91 (usurpação de bens da União), artigos 54 e 55 da Lei n.º 9.605/98 (Lei de Crimes Ambientais), art. 1° da Lei n.º 9.613/98 (Lei de Lavagem de Capitais) e art. 2° da Lei n.º 12.850/13 (Lei de Organização Criminosa), cujas penas ultrapassam os 20 anos de reclusão, além de multa.

Do Jornal do Commercio para a Rede Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário