segunda-feira, 6 de julho de 2020

imprensa da Paraiba Destaca trabalho da Brejo santense Micheline Matos

Imprensa da PB destaca trabalho de Micheline Matos.

A imprensa da Paraíba destacou o trabalho da Brejo-santense Micheline Matos, confira a matéria publicada pelo Almanaquepb. 

Ensaios fotográficos revelam a autoestima feminina


A arte da fotografia pode colaborar com a autoestima de mulheres que passaram toda a vida (ou boa parte dela) sendo comparadas a parâmetros estéticos, de saúde plena ou de beleza impostos pela sociedade e mostrados, repetidamente, na mídia e perfis publicitários. Mas as mesmas lentes que apresentam formas pouco atingíveis podem, ao mesmo tempo, serem aliadas no processo de quebra de padrões.

Micheline Matos
E foi com esse pensamento que a fotógrafa Micheline Matos decidiu convidar algumas amigas para um ensaio fotográfico diferente, com foco na verdadeira beleza feminina. “Eu andava cansada de fazer os ensaios fotográficos tradicionais e, às vezes, tão sem vida. Minha proposta era encontrar a beleza natural da mulher. Fazemos as fotos conversando e mostro para elas que a produção e a locação são o que menos importa. Ela sim é a protagonista de tudo”, declarou.

A partir desse pensamento nasceu a Conexão Feminina, produto fotográfico, criado por Micheline, durante um curso de fotografia realizado há três anos. O resultado chamou a atenção da Secretaria de Cultura de Brejo Santo (Ceará), que convidou a fotógrafa para expor seu trabalho durante as comemorações ao Dia Internacional da Mulher. Nascia então a “Exposição Conexão Feminina”, com o propósito de revelar potenciais de beleza e histórias de superação desconhecidas pelas próprias protagonistas dos ensaios. Potenciais que elas só passaram a enxergar por meio das lentes da fotógrafa.

Partes dessas histórias de transformação feminina, reveladas por meio da fotografia, serão apresentadas neste mês de julho pelo Almanaque PB. Sempre aos sábados, o site mostrará o que mudou ou foi (re)descoberto na vida de quatro mulheres que se deixaram fotografar em momentos únicos de suas vidas.

Enfrentando graves problemas com a saúde, baixa autoestima ou somente agora reconhecendo-se bonita frente aos espelhos, todas foram unânimes ao afirmar que mudaram suas compreensões de vida após o ensaio fotográfico com Micheline (as fotos podem ser vistas no perfil @micheline_matos do Instagram). Para essas mulheres a imagem, arte e sensibilidade devem caminham juntas em um mesmo projeto. É o momento em que a fotografia vai além de uma simples captação de uma imagem.


Marianne Cavalcante Ferraz
A primeira das quatro entrevistadas do Almanaque PB é Marianne Cavalcante Ferraz, 27 anos, empresária, casada. Marianne recebeu diagnóstico de câncer em julho de 2016, quando exames confirmaram a existência de um Linfoma de Hodgkin, doença que chegou quando ela estava com 23 anos de idade, casada, mãe de um menino, jovem e no auge da sua beleza. “Uma vida de sonhos pela frente e, de repente, um abalo! Me entreguei nas mãos de Nossa Senhora e ela me carregou no colo durante todo o tratamento”, disse.

Ela conta que foram seis longos meses de tratamento, medos e incertezas. “É uma luta árdua. Só́ quem passa sabe descrever. Mas eu venci”, declarou. Entre as maiores incertezas daquele período, além da cura, estava a de voltar a engravidar após o tratamento. Segundo os médicos, Marianne teria poucas chances para engravidar naturalmente após as sessões de quimioterapia. “O médico sugeriu que eu fizesse o congelamento de óvulos. Mas, naquele momento, eu disse que entregaria o meu sonho a Nossa Senhora e que fosse feita a vontade dela”.

E Marianne obteve todas as graças. Além da cura, conseguiu engravidar de forma natural, no ano passado, e agora está à espera da sua Maria Liz. “Consegui alcançar outro grande milagre com a intercessão de Nossa Senhora. A oração tem muito poder. Nunca percam a fé e, em qualquer situação de medo e desespero, rezem. Minha eterna gratidão e devoção a Nossa Senhora de Fátima, por tantas graças alcançadas e por sentir tanto amor e proteção a todo instante”, declarou.



O Ensaio Fotográfico – Micheline disse que ao ver Marianne, pela primeira vez, achou-a linda e fez o convite para fotografá-la. “Imaginei que fosse uma menina rebelde, que havia raspado a cabeça para dizer que se sentia à vontade sem os cabelos. Depois soube que ela estava em tratamento contra o câncer. Foram seis meses conversando até o dia das fotos. Foi uma tarde incrível com uma mulher que se redescobria após um longo período de luta pela vida”, contou Micheline.

Para Marianne, o convite da fotógrafa surgiu numa fase difícil de sua vida. Estava no tratamento da quimioterapia e, naquele momento, sem condições de fazer o ensaio. O convite foi aceito depois. “Era ainda uma fase muito difícil da minha vida. Eu havia perdido o cabelo e me sentia feia. Mas foi tudo maravilhoso. O ensaio levantou minha autoestima”, revelou.

As imagens de Marianne mostram momentos únicos daquele período. A jovem, que gostava de manter os cabelos longos e claros, exibia então um cabelo curtinho de cor escura, mas que não diminuiu a sua beleza. E as cicatrizes, marcas do cateter utilizado nas sessões de quimioterapia e de uma cirurgia da biopsia, também foram exibidas nas fotografias.


“Eu pedia a Micheline para mostrá-las. Essas cicatrizes tinham histórias. Digo que são as cicatrizes da minha vitória. Elas sempre estarão aqui, para lembrar o que eu passei, o quanto fui forte e que tudo passa. Tudo na nossa vida passa”.

Micheline lembra que, depois das fotos, Marianne disse ter florescido para uma nova mulher que estava esperando ser olhada por ela. “Eu sou grata por ter contribuído para esse encontro. Isso é conexão feminina. É fotografia com a alma”, afirmou a fotógrafa.

Aprendizados – “É muito difícil receber um diagnóstico de câncer. Mas depois percebemos que tudo em nossas vidas tem um motivo. Se veio foi para uma mudança. Hoje sou outra Marianne. Uma Marianne pós-câncer. Passei a dar valor às coisas. A ver a vida com outros olhos. Aprendi que nem tudo aquilo que achava importante, de fato, era importante de verdade. Passei a olhar mais o próximo”, declarou.

Para Marianne a exposição de suas imagens para outras pessoas ocorreu de forma tranquila. Ela passou a gostar de expor suas fotografias e dar força às pessoas que não queriam mostrar que estavam doentes. “Tem muita gente que se esconde e não gosta de assumir a doença”, revelou.

A sensibilidade no ensaio fotográfico também a incentivou a falar sobre a doença. “Percebi que poderia ajudar outras pessoas a encarar a doença de uma forma mais leve. O câncer me fez conhecer muitas pessoas, que vou levar no coração para toda a minha vida. Fiz muitos amigos. Muitos se foram. Com outros, mantenho contatos até hoje. Tudo na nossa vida tem um lado bom”, concluiu Mariane que, em breve, passará a contar suas novas conquistas ao lado da filha, que está prestes a nascer.

Fotos: Micheline Matos  

com dados do Almanaquepb.

Nenhum comentário:

Postar um comentário