quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Minha Casa, Minha Vida: bancada precisa cobrar e evitar 10 mil demissões no Ceará



Os deputados federais e senadores precisam cobrar do Governo Federal a liberação de recursos para salvar a demissão de 10 mil trabalhadores que atuam na construção do Minha Casa, Minha Vida no Ceará. O repasse na ordem de R$ 35 milhões, que corresponde a três meses, está atrasado e, segundo o presidente do Sindicato das Construtoras (Sinduscon), André Montenegro, não há mais como dar continuidade as obras. As obras podem ser suspensas até o final da próxima semana.

O Programa Minha Casa, Minha Vida emprega, hoje, pelo menos, 10 mil trabalhadores na Grande Fortaleza e no Interior do Estado. Outras 30 mil pessoas, segundo Montenegro, atuam nas empresas que dão sustentação às obras realizadas pelas construtoras – como, por exemplo, cerâmicas, fornecedores de produtos utilizados nas construções.

As empresas, segundo André Montenegro, não possuem capital de giro para fazer frente aos atrasos de 60 dias e chegando agora quase a 90 dias . ‘’O setor emprega 200 mil trabalhadores diretos e quase 500 mil indiretos no MCMV . Os atrasos já totalizam quase R$ 500 milhões no Brasil . Aqui no Ceará estamos em atraso perto de R$ 35 milhões ,empregamos 10 mil pessoas e estamos construindo em torno de 10 mil unidades em diversas cidades cearenses’’, disse Montenegro, ao relatar o impacto do atraso e, possível suspensão das obras, em cidades como Juazeiro do Norte, Crato, Iguatu, Maranguape , Fortaleza, Russas, Camocim, Itapipoca e Acaraú.

Sem dinheiro em caixa, conforme o líder sindical da construção civil, não há outro caminho: ‘’caso o governo não pague essas medições em atraso, os prejuízos serão enormes, desde a demissão de 10 mil trabalhadores que ficam sem emprego e sem receber os direitos trabalhistas e 13o salário, pois as empresas não tem como pagar , como também teremos prejuízos para as pessoas que estão aguardando serem contempladas com essas casas’’, observar André Montenegro, ao afirmar que fez relatos a representantes da bancada do Ceará em Brasília sobre as dificuldades enfrentadas pelo setor e a ameaça de suspensão das obras do Minha Casa, Minha Vida.

 Ceará agora

Nenhum comentário:

Postar um comentário