quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Acusado de matar professor em Aurora é condenado a 22 anos e 9 meses de reclusão em regime fechado


Henrique Macêdo_

Francisco Adenilton Gomes do Nascimento, de 27 anos, o “Denim”, acusado de participação direta num crime de latrocínio com requintes de perversidade em Aurora, na região do Cariri, que teve como vítima o professor da rede municipal de ensino, Paulo Gonçalves de Aquino, de 33 anos, foi condenado a 22 anos e 9 meses de reclusão em regime fechado por homicídio em um júri popular, nesta terça-feira (29).

 A imagem pode conter: 2 pessoas

 A audiência foi presidida pelo juiz titular da Comarca de Aurora, João Pimentel de Brito.
As qualificadoras para o crime de homicídio foram por tortura, crueldade e barbaridade contra a vítima que teve o corpo carbonizado após sofrer disparos de arma de fogo e os órgãos retirados do corpo.

O fato aconteceu no dia 11 de outubro de 2012. No início da noite do dia anterior ao crime o professor havia saído de casa logo após receber um telefonema, e não mais retornou e nem foi visto nos lugares que costumava frequentar.

O corpo de Paulo de Aquino foi encontrado por populares no Sítio Olho D´água, zona rural de Aurora.

Nos levantamentos feitos pela polícia militar também foi constatado que haviam sido roubados da vítima a sua motocicleta Honda Fan 125 de cor vermelha, ano 2011, e placa OCR-0650, inscrição do Ceará, o capacete, o celular e o salário que havia recebido.

Outros denunciados no processo são José Paulino de Araújo Filho, apelidado por “Ceará ou Zé Mulher”, e Jean Júnior de Araújo Ferreira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário