Páginas

Facebook

segunda-feira, 28 de junho de 2021

Lázaro é preso em Goiás, diz governador de Goiás.

 





image


Após 20 dias de uma megaoperação, com mais de 270 policiais, Lázaro Barbosa, de 32 anos, foi preso nesta segunda-feira (28), em Goiás. A informação foi divulgada pelo governador Ronaldo Caiado. Policiais comemoraram a prisão. Condenado por assassinatos e estupros, o fugitivo da Justiça era procurado por uma série de crimes na Bahia e em Goiás. Ele também é acusado da morte de quatro pessoas de uma família em Ceilândia, no Distrito Federal, e de um caseiro de uma fazenda no distrito de Girassol, em Goiás.

"Acabo de receber neste momento uma informação de todas as equipes que estão na região de Cocalzinho que o Lázaro foi preso".

"Como eu disse, era questão de tempo até que a nossa polícia, a mais preparada do País, capturasse o assassino Lázaro Barbosa. Parabéns para as nossas forças de segurança. Vocês são motivo de muito orgulho para a nossa gente! Goiás não é Disneylândia de bandido", disse o governador Ronaldo Caiado em uma rede social.                    

As buscas haviam sido intensificadas. Dois helicópteros foram acionados, houve reforço no número de viaturas mobilizadas e o secretário de segurança de Goiás, Rodney Miranda, se dirigiu a região de buscas intensas no município de Girassol, que teve seu acesso fechado à imprensa por uma barreira policial. As equipes passaram por lá por volta de 14h às 17h, quando voltaram para a base, montada em uma escola municipal. No início da noite as equipes retornaram à região, onde quatro peritos foram acionados, e por volta das 19h40 deixaram a área em direção à base.

Na região, pela manhã, houve um tiroteio registrado por equipes da Record TV. Em uma área próxima, um caseiro relatou na quarta-feira que trocou tiros com um homem que poderia ser Lázaro, mas não soube informar se o suspeito foi atingido. 

Na terça-feira (22), os policiais encontraram um carro abandonado e incendiado na região conhecida como Gruta dos Ecos, na saída do distrito de Girassol, em Cocalzinho de Goiás. A polícia e a perícia foram delocadas para o local para coletar impressões digitais do automóvel.

De acordo com as apurações, Lázarou chegou a trocar tiros com as equipes de segurança durante as buscas na zona rural de Edilândia, no dia 15, e um policial ficou ferido. Dias depois, nova troca de tiros, mas em ninguém atingido.

Durante a fuga, a polícia disse que o acusado circulou por áreas rurais com habilidade, agindo sempre da mesma maneira: armado, invadindo fazendas para se alimentar, beber e descansar, obrigando os moradores a cozinhar para ele.

Em duas semanas, ele matou pelo menos quatro pessoas, baleou outras três e fez reféns em chácaras. No passado, além dos crimes na Bahia, se envolveu com agressões em Goiás, roubos e estupros em Brasília.

Além do massacre da família Vidal, de acordo com a Polícia Civil, Lázaro coleciona três mandados de prisão em aberto por roubos e estupro, em Goiás, e por um homicídio na Bahia. No Distrito Federal, ele é investigado por homicídio e roubo seguido de estupro. Além disso, o acusado está foragido da penitenciária de Águas Lindas de Goiás há mais de três anos.

Apesar de circular por povoados e propriedades rurais, Lázaro já usou a tecnologia para o interesse próprio. Redes sociais serviram como facilitador, onde se passava por bom rapaz e se aproxiava de vítimas.

Em 2013, após ter sido preso, passou por avaliação feita por uma junta médica. Na época tinha 26 anos, e o laudo apontou características de personalidade agressividade, ausência de mecanismos de controle, dependência emocional, impulsividade, instabilidade emocional, possibilidade de ruptura do equilíbrio, preocupações  sexuais e sentimentos de angústia.

     r7