Páginas

Facebook

terça-feira, 11 de maio de 2021

Bosque da Memória visa recuperar mata ciliar e homenagear vítimas da Covid em Juazeiro do Norte.

 





























Trecho da mata ciliar do Riacho das Timbaúbas com árvores nativas, em Juazeiro do Norte, deverá ser recuperado, a partir da instalação de Bosque da Memória que visa o plantio de mudas de arvores que receberão um nome de um habitante vitimado em função desta pandemia. A iniciativa é do LaboraTerra – Laboratório da Terra é um espaço de experimentos de tecnologias sociais voltadas para a agricultura urbana, com atividades de agrofloresta, agricultura biodinâmica e permacultura, com modelos produtivos de convivência com a terra possíveis de ser replicados.
O LaboraTerra trata a natureza de forma holística e sistêmica, desenvolvendo pesquisas, sistematizando e popularizando conhecimentos sobre a convivência com o semiárido, oferecendo consultorias para elaboração, implantação, acompanhamento e sistematização de projeto e programas pautados na agricultura familiar, na segurança alimentar e nutricional e no uso de novas tecnologias.
Atualmente vem implantando o Programa Avós da Terra, inspirado no saber tradicional feminino e sua relação com a terra. As atividades do programa contemplam a instalação de um Laboratório de Cromatografia de Solo, um programa de formação permanente, a implantação de uma horta agroflorestal e a instalação do Bosque da Memória. Essas ações fazem parte do Projeto de Renaturalização do Riacho das Timbaúbas que conta com equipe multidisciplinar composta por cientistas da UFCA, CAGECE, SAAEC, LaboraTerra, Autarquia Ambiental, Secretaria do Meio Ambiente de Juazeiro do Norte e Universidade da Paraíba.
*Arte no LaboraTerra*
A Sala Marcia Dangremon, situado no Instituto de Ecocidadania Juriti é o espaço de referência desta experiência. No período de 14 a 17, a artista visual Jessyca Sereia, integrante do Wa Coletivo e da Rede Todas de Mulheres Latino-Americanas de Arte Urbana, estudante do curso de Design Gráfico da UFCA estará participando de uma residência artística para a pintura do espaço, tendo como tema mulheres brasileiras na agricultura: índias, negras e migrantes.
O material da pintura da Sala do LaboraTerra – Laboratório da Terra, foi doado pelo Projeto Território Criativo do Gesso, do Coletivo Camarada do Crato, com recursos do edital de Prêmio de Fomento de Cultura e Arte do Ceará, da SECULT/CE, através da Lei Aldir Blanc.