Uma professora aposentada de Várzea Alegre, foi alvo de um golpe recentemente quando foram realizados empréstimos em seu benefício sem sua autorização.

Elza Jerônimo, que foi candidata a vereadora nas últimas eleições, disse que ao todo são quatro movimentações indevidas em sua conta, em menos de três meses, todas com valores diferentes.

No primeiro empréstimo o golpista conseguiu o valor de R$1.804,81, no segundo R$807,75, já no terceiro R$716,66 e no quarto o valor é bem maior, R$2.105,86, uma soma de R$5.435,08 de empréstimos.

Os descontos são de R$46,03 |R$20,00 | R$17,68 e R$52,08.

A aposentada disse que só em novembro de 2020 foram dois empréstimos, os outros ocorreram nos meses de outubro de 2020 e janeiro de 2021, e o surpreendente é que são todos em seu nome, realizados nos Bancos C6 Consig e o último no Itaú.

“Em pouco mais de três meses, meu benefício ficou quase nada uma vez que eu já tinha empréstimos”, disse.

Elza retira a sua aposentadoria no Banco Bradesco, na cidade, que perguntada o que a agência fala sobre esse caso, ela disse que é sempre orientada a procurar o Instituto Nacional do Seguro Social – INSS.

“Nunca cheguei a falar com o gerente pois sempre a pessoa que fica no atendimento me atendia mandava eu procurar o setor do INSS. Quando eu fui ao posto do INSS que fica no sindicato dos agricultores Rurais lá mandaram eu procurar o INSS em Lavras da Mangabeira”, destaca.

Cansada, a aposentada procurou o advogado Joaquim Frutuoso para agilizar no processo. Em contato, o advogado nos informou que foi realizado um Boletim de Ocorrência – B.O e aguarda confirmação para ser protocolada uma ação na justiça.

No processo será ajuizada uma ação pedindo uma tutela para que o juiz solicite o bloqueio do dinheiro na conta e suspenção dos descontos, até que seja analisada a questão. Ele alertou que a ação dura em média de um ano para ser concluída.

Frutuoso informou que o fato de Elza Jerônimo não é isolado e que vários idosos já o procuraram para relatar o ocorrido.

“Tem se tornado uma prática corriqueira. Os aposentados se dirigem ao banco e normalmente esses aposentados são clientes do Bradesco e ao chegarem lá, se deparam com empréstimos consignados que eles não solicitaram, ou seja, alguém de forma fraudulenta praticou o crime de estelionato”, disse.

O advogado nos informou que isso é possível quando o golpista consegue os dados da documentação da vítima, cadastra uma senha e solicita o empréstimo sem a autorização do aposentado.

Joaquim orienta ao idoso que ao chegar ao banco se tiver empréstimos, valores superiores ao valor depositado pelo INSS, imediatamente o aposentado deve ter o cuidado de não sacar esse recurso, ainda procurar um advogado para o processo. Ele ainda orienta a não atender ligações suspeitas e fornecer a senha do INSS apenas à pessoas de extrema confiança.

“Os aposentados que não desejam fazer empréstimo consignado, que procure o sindicato, que procure os escritórios de advocacia e peça para bloquear o seu benefício para empréstimos”, disse.

A reportagem tenta contato com a Agência Bradesco de Várzea Alegre, para falar sobre o assunto, mas por ser um fim de semana, até o fechamento desta matéria não obteve êxito.

foto retirada do Uol Economia 
                       Várzea Alegre Agora