sexta-feira, 9 de outubro de 2020

Candidato a prefeito no Piauí é acusado de liderar esquema de tráfico de drogas

 Segundo MP, acusado trazia drogas de São Paulo para revender na região de Avelino Lopes e Curimatá, Sul do Piauí.



CANDIDATO




O pré-candidato a prefeito do município de Avelino Lopes, Aminadab Pereira de Sousa Neto, mais conhecido como “Moreninho”, tem um passado bem obscuro. Segundo consulta à processos judiciais, o processo Nº 0000062-39.2007.8.18.0092, que tramitou na comarca do município no ano de 2007, o candidato e outras pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público e posteriormente condenadas pelo crime de tráfico de drogas e entorpecentes e outras condutas.


Entenda o Caso

De acordo com o inquérito policial que investigou o caso, Aminadab participava de uma quadrilha especializada no transporte dos entorpecentes até o município de Avelino Lopes. As investigações apontaram que ‘Moreninho’ trazia as drogas em ônibus vindo de São Paulo e realizava a entrega, por meio de comparsas no município. Em uma dessas “operações”, a polícia de Curimatá (PI) desconfiou do esquema e resolveu realizar o flagrante.

Segundo a investigação, Moreninho teria trazido uma caixa com drogas em um ônibus da empresa Itapemirim e entregou aos comparsas que foram perseguidos pela polícia e acabaram relatando como funcionava o esquema.

Após a perseguição e prisão de alguns dos acusados, a polícia encontrou a caixa (que foi trazida por Moreninho) com uma quantidade “surpreendente” de crack e de maconha prensada. Em seguida os policiais abordaram o ônibus no qual Aminadab trafegava e deram voz de prisão ao mesmo.

Droga seria vendida

O inquérito também concluiu que a droga transportada por Moreninho e seus comparsas seria vendida em Avelino Lopes e que “estavam em quantidade suficiente para manter o nefasto vício dos dependentes do município por várias semanas, demonstrando risco à saúde pública”, cita.

Em denúncia, o MP também classificou a associação criminosa a qual Moreninho fazia parte de “empresa do tráfico”.


Processo ainda tramita na Justiça

Passados mais de 10 anos do caso, o processo segue tramitando sem sentença na justiça local, mesmo após a denúncia do Ministério Público, as investigações e a decisão da Justiça local e as apresentações das defesas dos envolvidos.

Fonte: Portal Fala Piauí

Nenhum comentário:

Postar um comentário